Como lidar com as emoções das crianças?

Como vimos, a família deve investir na aprendizagem da inteligência emocional dos filhos, auxiliando-os na compreensão da importância dos princípios e valores que cada um de nós deve carregar em si. Mas, é importante reconhecer que isso envolve uma série de dificuldades em relação ao desenvolvimento da criança, pois os pequenos ainda estão conhecendo suas emoções e aprendendo a lidar com elas.

A inteligência emocional é externalizada e transmitida pela capacidade de reconhecer os próprios sentimentos, pensamentos e emoções, bem como de identificá-los nos outros, encontrando formas saudáveis de lidar com eles para melhorar nossa qualidade de vida. Na idade adulta, conseguimos compreender isso, mas como será que a criança percebe tais aspetos na realidade dela?

Um dos melhores exemplos é a birra infantil

A birra é muito comum nas fases do desenvolvimento, mas que pode durar até a adolescência. Existem diversos fatores que envolvem o comportamento de teimosia entre as crianças. Mas, um dos que mais surte efeito no manejo saudável da situação, é a valorização dos sentimentos. Quando o pequeno não se sente valorizado na relação com os pais, ele tende a apresentar comportamentos de birra a fim de testar os limites dos mais velhos e, é claro, conseguir o que deseja. Portanto, os pais devem compreender como os filhos estão se sentindo e fazê-los perceber que a experiência pode ser vivenciada de maneira mais leve e tranquila.

Em outras palavras, em vez de informar que ele não pode ser teimoso, você pode — e deve! — utilizar a situação como estratégia de aprendizagem, explicando que a frustração realmente é algo que incomoda, mas que ela pode ser resolvida com outros sentimentos, como a paciência e a empatia. No entanto, não podemos deixar de dizer que a inteligência emocional dos pequenos é desenvolvida, principalmente, por meio da modelação e observação. Ou seja, as crianças aprendem a lidar com os sentimentos delas da mesma forma com que os adultos ao seu redor trabalham com eles.

Assim, prestar atenção nos comportamentos que você e as pessoas próximas a seus filhos apresentam ao enfrentarem uma situação desafiadora é uma das melhores estratégias para mostrar aos pequenos as formas saudáveis de lidar com vivências desconfortáveis. Isso colabora não só para a construção de um ambiente familiar saudável, como também para a autonomia da criança em entender sozinha como é possível manejar as próprias emoções delas.

Como lidar com a personalidade da criança?

Não há como falar sobre os desafios da educação infantil sem abordar a personalidade das crianças. Desde pequenos, aprendemos a lidar com tudo ao nosso redor, tanto os aspectos positivos quanto aqueles que geram frustração, ansiedade, estresse e desconforto em nosso dia a dia.

Se hoje sentimos todas essas emoções e conseguimos identificá-las, é sinal de que aprendemos o que elas são quando éramos pequenos e desenvolvemos estratégias para lidar com elas. São justamente essas técnicas que compõem nossa personalidade e criam o filtro que utilizamos para visualizar e vivenciar tudo o que acontece em nossas vidas.

Nesse sentido, as crianças aprendem desde cedo a trabalhar com suas emoções, criando uma história de vida que desenvolve a personalidade delas — e que, vale ressaltar, pode ser trabalhada em qualquer momento da vida caso gere desconfortos.

Então, o que acontece quando elas ingressam na escola?

Como o contexto familiar era protegido por pessoas conhecidas que auxiliaram na construção da personalidade delas, as crianças tendem a estranhar os ambientes escolares visto que ele é completamente modificado juntamente ao cotidiano dela: existem crianças diferentes, sentimentos novos e experiências nunca vivenciadas.

É justamente nesse momento que a criança começa a aprender sobre autoestima, autoconfiança e autorregulação, assim como descobre a importância das amizades e diminui a dependência dos pais para resolver os problemas delas, tanto pessoais quanto escolares.

Você lembra que comentamos que a personalidade pode ser transformada ao longo dos anos? Pois é, as experiências vivenciadas na escola provocam mudanças de comportamento e de pensamento nas crianças. Isso traz desafios para os pais que, muitas vezes, não sabem como lidar com essas transformações, sobretudo quando elas são questionáveis frente a seus valores familiares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *